sexta-feira, 31 de julho de 2015

MERCADO DE COSMÉTICOS E A CRISE

                            Crise estimula venda de cosméticos




                   Em tempos de recessão econômica, mulheres compram mais artigos de beleza do que bens duráveis.
                 “O ano tem sido difícil, a gente vê que o momento é de crise, mas não dá para negar que as pessoas deixam de comprar bens duráveis e compram cosméticos. Grandes empresas vieram para o Brasil e o setor tem se fortalecido”,


 Homens são o novo público alvo do setor de beleza


                            O cuidado com o próprio corpo tem conquistado cada vez mais espaço no dia a dia de mulheres e também de homens. A lista de itens indispensáveis para uma nécessaire hoje pode ser bem extensa e parte disso se deve às mudanças radicais nas rotinas, uma vez que as pessoas hoje estão passando muito mais tempo de seu dia fora de casa.
                              Soma-se a esse cenário o aumento do poder de consumo, o qual possibilitou que itens, antes considerados supérfluos na lista de compra, sejam agora adquiridos com maior regularidade.
                             Em busca de novos mercados, o segmento de cosméticos começou a investir no aumento de renda da classe C. Assim, conseguiu ganhar novos consumidores. Agora, segundo o economista Fabio Bentes, é a vez dos homens serem fisgados pelo setor.

                          “Esgotou-se a capacidade que a classe C tinha de consumir mais e é natural que o mercado busque novos compradores. O potencial de consumo agora é o público masculino, que está adquirindo cada vez mais cosméticos”, avalia o especialista.

Fonte: IG/Sebrae
Postar um comentário

Recado