segunda-feira, 2 de novembro de 2015

COMO LIDARIAS SE FOSSE VÍTIMA DE RACISMO?

                 
 
          

  Taís Araújo é vítima de ataques de racistas na internet

 
 

Taís Araújo é vítima de ataques racistas na internet
 
 
“Cabelo de esfregão”, “Já voltou pra senzala?”, “Entrou na Globo pelas cotas”, “Negra escrota”, “Parece um animal”. Essas foram algumas das mensagens deixadas na página do Facebook da atriz pelos agressores, muitos deles escondidos por trás de perfis falsos.
 
                     A página da atriz Taís Araújo no Facebook foi alvo de diversos ataques racistas nos últimos dias. A maioria dos comentários deprecia a aparência da artista. “Cabelo de esfregão”, “negra escrota”, “com esse cabelo dá pra lavar a Globo inteira”, “parece um animal” foram algumas das mensagens deixadas pelos agressores, muitos deles escondidos por trás de perfis falsos.
                   Em contrapartida, os fãs de Taís criticaram o ódio e o preconceito disseminados na rede social e defenderam a atriz como uma das maiores representantes da beleza negra no Brasil. “Continuam nos atacando porque sentem medo de perder esse monte de privilégios nojentos que têm. Aceitem e chorem porque o choro é livre”, escreveu uma internauta.
 
Confira o desabafo de Taís Araújo
                       "É muito chato, em 2015, ainda ter que falar sobre isso, mas não podemos nos calar. Na última noite, recebo uma série de ataques racistas na minha página. Absolutamente tudo está registrado e será enviado à Polícia Federal. Eu não vou apagar nenhum desses comentários. Faço questão que todos sintam o mesmo que eu senti: a vergonha de ainda ter gente covarde e pequena neste país, além do sentimento de pena dessa gente tão pobre de espírito. Não vou me intimidar, tampouco abaixar a cabeça.
                   Sigo o que sei fazer de melhor: trabalhar. Se a minha imagem ou a imagem da minha família te incomoda, o problema é exclusivamente seu! Por ironia do destino ou não, isso ocorreu no momento em que eu estava no palco do teatro Faap com o “Topo da Montanha”, um texto sobre ninguém  menos que Martin Luther King e que fala justamente sobre afeto, tolerância e igualdade. Aproveito pra convidar você, pequeno covarde, a ver e ouvir o que temos a dizer. Acho que você está precisando ouvir algumas coisinhas sobre amor". (grifos meus)
 
Fonte: GI-RJ

 

 
Postar um comentário

Recado