terça-feira, 22 de dezembro de 2015

MERCADO IMOBILIÁRIO - ATÉ A DEVOLUÇÃO DE IMÓVEIS ALUGADOS DISPARA

 Estourou de vez! Até a devolução de imóveis alugados dispara 

 

Foto de divulgação

                O impacto foi sentido mais cedo no mercado de venda, tanto de imóveis novos quanto de usados, porque é mais caro comprar do que alugar, mas era inevitável que chegasse também à locação

                   Pela primeira vez no ano, o número de casas e apartamentos devolvidos por inquilinos superou o de novas locações nas 37 cidades pesquisadas pelo Creci-SP (Conselho Regional de Corretores de Imóveis do Estado de São Paulo). Em outubro, o volume de imóveis devolvidos foi 6,35% maior que o total de imóveis alugados.

                   De acordo com o CreciSP, os inquilinos desistiram da locação por motivos financeiros (60,42%) ou diversos (39,58%). Em setembro, as imobiliárias que o Creci-SP consultou já haviam recebido de volta um total de chaves equivalente a 99,83% dos novos contratos de locação.

                    Além disso, no mesmo período, foi alugada uma quantidade de imóveis 4,72% inferior à registrada em setembro pelas 1.079 imobiliárias pesquisadas.

                  O presidente do CreciSP, José Augusto Viana Neto, afirma que “esta era uma pedra já cantada” e já se sabia “que os efeitos da crise econômica afetariam o mercado de locação em algum momento”.

— O impacto foi sentido mais cedo no mercado de venda, tanto de imóveis novos quanto de usados, porque é mais caro comprar do que alugar, mas era inevitável que chegasse também à locação.

                Viana Neto cita dados do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), que mostraram que, já em 2014, quase 30% dos domicílios alugados tinham aluguel equivalente ou superior a 30% da renda domiciliar mensal, situação que o IBGE classifica como “ônus excessivo”.

— O custo do aluguel vem impactando no bolso, especialmente, das famílias com menor rendimento. A própria pesquisa do IBGE comprovou essa realidade.

"Crise se espalha como uma onda"

            O presidente do Creci-SP diz, ainda, que as consequências diretas da crise econômica neste ano — como a perda de renda e poder de consumo — vão se espalhando como onda, de cima para baixo, e fazem com que as famílias menos abastadas busquem alternativas para reduzir o impacto do valor da locação nas despesas mensais, trocando aluguel “velho” por “novo” mesmo que isso signifique mudança de  bairro e de tamanho do imóvel.

 

 Fonte: CRECI-SP

 

 

 

 

 

 

 

Postar um comentário

Recado