sexta-feira, 2 de dezembro de 2016

Mulheres têm salário médio quase R$ 500 menor que o dos homens, diz IBGE


Foto de divulgação

Os homens inseridos no mercado de trabalho brasileiro têm salários na média de R$ 2.012, valor R$ 490 superior ao recebido pelas mulheres empregadas, que ganham, em média, R$ 1.522. As informações estão presentes na Síntese de Indicadores Sociais 2016, divulgada pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) nesta sexta-feira (2)...

No mercado formal, os homens são os que têm os melhores salários na média: R$ 2.432. Já as mulheres em empregos com carteira assinada recebem, em média, R$ 1.873. Por outro lado, na informalidade os homens têm um salário médio de R$ 1.345, enquanto elas ganham R$ 923 nas mesmas condições de trabalho.

 O IBGE ressaltou que “a desigualdade de rendimentos entre homens e mulheres, segundo os grupos de anos de estudo, reduziu entre os anos de 2005 e 2015, assim como a distância entre os rendimentos dos menos escolarizados (até 4 anos de estudo) e aqueles com 12 anos ou mais de estudo”.

As desigualdades entre homens e mulheres no mercado de trabalho podem ser analisadas também sob outras duas óticas: a diferenciação das jornadas de trabalho e a ocupação de cargos de chefia ou direção.

No caso da primeira, pode-se verificar uma maior proporção de mulheres em relação aos homens cuja jornada semanal no mercado de trabalho era de até 39 horas (38,6%). Por outro lado, no caso da população masculina ocupada, 19,9% tinham uma jornada semanal inferior a 40 horas.

No Brasil, o salário médio no Brasil, incluindo empregos dentro da legalidade e a informalidade, foi de R$ 1.808 em 2015 — um incremento de quase R$ 500 em relação aos R$ 1.372, em média, registrados em 2005.

Os trabalhadores com carteira assinada ganham, em média, quase o dobro dos brasileiros que têm serviços informais. O salário médio foi de R$ 2.195, contra R$ 1.174 dos colegas do mercado paralelo em 2015.

 Fonte R7

Postar um comentário

Recado