domingo, 2 de julho de 2017

Empresário de 68 anos cria startup de nova moeda virtual

Aplicativo ajuda o consumidor e comerciantes a economizarem.
Ele utiliza uma moeda virtual, chamada ekko.


Um empresário entrou para o ramo da tecnologia depois que entrou na terceira idade. Permínio Moreira tem mais de 50 anos de trabalho, seis empresas criadas no currículo e agora, com 68 anos, fundou uma startup, mercado dominado por jovens...

 
Permínio passou seis anos criando um produto inovador: um aplicativo que ajuda o consumidor e comerciantes a economizarem. O app utiliza uma moeda virtual, chamada ekko, também inventada por Permínio.

Quando baixa o programa, o cliente ganha 200 ekkos. O câmbio é de um para um: uma unidade vale R$ 1. Ele localiza os negócios parceiros - de restaurante a petshop. Nesses locais, parte do pagamento pode ser feita com a moeda virtual usando o aplicativo. A porcentagem varia de 5% a 70%, dependendo do horário. “A partir do momento em que eu recebi meus ekkos, eu passo a pagar todo o meu consumo em todos os estabelecimentos conveniados, pagando parte em real, parte em ekko”, explica Permínio.

Em um restaurante conveniado, por exemplo, quem almoça até as 14h paga até 10% do valor da conta com a moeda virtual.  Depois das 14h, o desconto aumenta para 15%. A economia para o cliente gerou mais movimento e também faturamento para Alexandre Moisés, dono do restaurante: “Hoje, em uma das unidades, aumentou 10% e em outra 30%. Acabam pegando mais algum produto, gastando mais porque já sabem que vão ter algum desconto”.

Cada compra usando o aplicativo gera, em ekkos, o valor gasto em reais. Por exemplo, se a conta era de R$ 40 e R$ 10 foram pagos com a moeda virtual, os R$ 30 reais que o consumidor gastou se transformam em R$ 30 para serem usados em uma próxima vez. “Todo mundo passa a comprar mais barato, sobra dinheiro no bolso e eu gasto mais. A economia está precisando disso”, afirma o criador da ideia.

Por enquanto, são 50 estabelecimentos cadastrados, apenas no bairro de Moema, na Zona Sul de São Paulo. O faturamento, que o Permínio não revela, vem de comissões cobradas sobre as vendas dos lojistas que usam o app. O empresário tem tanta confiança no negócio que patenteou a ideia no mundo e o sistema está pronto na nuvem.

Essa empolgação típica de quem é jovem é uma marca do empresário e ele que garante que está longe de se acomodar: “Eu não vou me sentir velho nunca. O dia que realmente acontecer isso eu já fui. É mais difícil se você não abrir a cabeça, se você abrir a cabeça e pensar dentro de você, eu sou jovem, o segredo é esse”.

Fonte:PEGN
Postar um comentário

Recado