segunda-feira, 9 de maio de 2016

A CULPA É DO DESCONTROLE FINANCEIRO

Os principais sinais do descontrole financeiro

Foto de divulgação

O descontrole financeiro pode começar por diversos motivos, e não apenas por conta do consumo abusivo. O ritmo de trabalho acelerado, por exemplo,
é uma causa bastante comum: diante da dificuldade de conciliar compromissos pessoais e profissionais, a pessoa acaba, inconscientemente, sendo displicente com suas contas, que deveriam estar na lista de prioridades.


Alguns fatores extraordinários também podem causar uma verdadeira revolução na vida financeira, tais como problemas de saúde, um divórcio ou a perda do emprego. Até mesmo questões emocionais podem gerar esse descontrole: para suprir alguma carência ou frustração, a pessoa acaba gastando mais do que deve.


Identificar o motivo é o ponto de partida para a solução dos problemas. Mas como percebê-los?


Atenção aos sinais!
É fundamental fazer uma planilha de orçamento, comparando receitas e despesas, com o objetivo de identificar e quantificar os efeitos do descontrole.


No dia a dia, é possível detectar alguns sinais de alerta para a saúde financeira. Importante dizer que, embora sejam sinais bastante claros, o consumidor pode estar tão envolvido em sua rotina, que não os percebe. Fique atento:
  • contas pagas em atraso, seja por falta de fundos ou por esquecimento, levando à cobrança de juros e multa;
  • uso frequente do cheque especial;
  • pagamento da fatura do cartão de crédito sempre no valor mínimo;
  • compras parceladas em excesso;
  • devolução de cheques;
  • cobranças.

Cuidado com as dívidas!
Percebido o problema, o primeiro passo é rever a forma como  gastar. Analise item por item na coluna “despesas” de sua planilha, avaliando a necessidade de cada gasto e se poderia ser reduzido, seja por meio do consumo menor ou mesmo troca de serviço (no caso de TV a cabo, internet, plano de saúde etc.).


Educar-se financeiramente, utilizar os meios de pagamento com consciência e evitar financiamentos longos são algumas dicas para ficar longe das dívidas.


Depois de restabelecer a saúde financeira, crie um método de controle que  permita monitorar as finanças para que o problema não mais se repita. Estabeleça uma meta de poupança e busque a realização dos  sonhos. Seu bolso agradece! 

Fonte: Finanças Práticas
Postar um comentário

Recado