sexta-feira, 30 de setembro de 2016

Conselho Monetário muda regra para financiamento de imóvel

Foto de divulgação
 Os bancos poderão financiar, pelo prazo de um ano, a compra de imóveis novos de até R$ 1,5 milhão pelos juros do SFH (Sistema Financeiro de Habitação), de até 12% ao ano..
. Uma resolução do CMN  (Conselho Monetário Nacional) permitirá que as instituições destinem 6,5% do saldo médio dos depósitos captados por meio da poupança para contratos nesse valor.

Não será possível, no entanto, sacar recursos do FGTS para realizar parte do pagamento desses imóveis.  Nesse caso, continua a valer o limite de R$ 750 mil (para Minas Gerais, Rio e São Paulo) e R$ 650 mil para outros Estados.

Atualmente, 65% dos depósitos de recursos de poupança têm que ser aplicados em crédito imobiliário, sendo 80% do total para o SFH.

Segundo a chefe do Departamento de Regulação do Sistema Financeiro do Banco Central, Silvia Marques, a medida não é para fomentar a oferta de financiamento para imóveis de até R$ 1,5 milhão, já que, pela regra, os bancos deveriam direcionar R$ 322 bilhões do crédito imobiliário e já têm hoje uma posição superior a essa, tendo emprestado R$ 374 bilhões.

“O objetivo é tentar trazer mais uma opção de cumprimento do direcionamento dos recursos da poupança para os bancos. É mais uma opção”, disse.
Postar um comentário

Recado