sábado, 19 de dezembro de 2015

IDOSOS SE RENDEM E ADEREM AO MUNDO VIRTUAL


Pnad mostra que o uso de tecnologia por pessoas de mais de 50 anos é o que mais cresce no país.
Zoraide aprendeu a postar suas próprias fotos no Facebook (Foto: Nathalia Tavolieri / ÉPOCA)
Foto de divulgação

                             O uso da internet por pessoas maiores de 50 anos só aumenta. De acordo com o IBGE, a proporção de usuários nesta faixa etária cresceu 11% em 6 anos. E a rede continua atraindo essa gente, que dispõe de mais tempo, depois da aposentadoria. Alguns pedem os filhos para ensinar, outros fazem cursos para aprender a lidar com o computador. E quando aprendem,
não querem mais sair da internet, através da qual conversam com parentes e amigos, postam fotos, assistem a vídeos e vasculham os sites de notícias.
                            As aposentadas Mafalda e Zoraide Ribeiro, de 69 e 67 anos, eram as únicas, entre as sete irmãs, que não sabiam mexer no computador. Em uma conversa de elevador, a mãe delas, Luiza Soares Ribeiro, de 89 anos, soube de um curso de informática voltado à terceira idade. Pela dificuldade de mobilidade, dificilmente iria sozinha. Convenceu as duas filhas a levá-la e a assistir às aulas juntas. Durante os 45 dias de curso, aprenderam a usar programas básicos de edição de texto, trocar emails, fazer pagamentos online, brincar com jogos diversos e conheceram as redes sociais.
Zoraide (sentada) e Mafalda fizeram curso
Foto de divulgação
 
Zoraide (sentada) e Mafalda fizeram curso
               De dia, Mafalda se dedica aos afazeres domésticos e às obrigações como síndica do prédio onde mora, na Bela Vista, no centro de São Paulo. Noite adentro, está conectada. As horas online são divididas entre sites de notícias (ela deixou de assinar o jornal impresso), o YouTube (para assistir a shows de Roberto Carlos) e, principalmente, o Facebook. “Gosto de papear com as minhas amigas que moram no Brasil e no exterior, e de curtir e comentar fotos da família.” Mafalda dividia o computador de casa com os filhos. “Eles não tinham tempo ou paciência de me ensinar a usá-lo.” Agora, morando sozinha, ela tem tempo e conhecimento para aproveitar o computador à vontade.
                   Diferentemente da irmã, a artista plástica Zoraide já tinha um perfil no Facebook. Fora criado por seus filhos para divulgar o artesanato da mãe na rede. “Eu até prestava atenção enquanto eles publicavam fotos, mas era difícil memorizar. Com as apostilas do curso fica mais fácil. Se esquecermos algo que aprendemos na aula, é só olhar de novo em casa.” Depois que concluiu o curso, ela passou a postar fotos em seu próprio perfil. Não só de seus artesanatos de madeira, como também de seus familiares e amigos.
                      Luiza, Mafalda e Zoraide entraram para o grupo de internautas que mais cresce no Brasil. De acordo com o IBGE, a proporção de usuários acima dos 50 anos  aumentou.
 
Fonte: Época

Postar um comentário

Recado