sexta-feira, 14 de outubro de 2016

Portugal agiliza passagem de brasileiros por aeroporto, mas só na saída do país

Foto de divulgação
Portugal inaugurou  uma operação automatizada que agiliza a passagem de cidadãos brasileiros (e de mais oito nacionalidades, incluindo americanos e canadenses) pelas fronteiras do país. Por enquanto, as medidas valem apenas para a saída do território português pelo aeroporto de Lisboa...


Houve muita especulação de que o serviço estaria disponível já na chegada a Portugal, o que dispensaria a necessidade da tradicional entrevista na imigração. Por enquanto, não há data prevista para isso acontecer.


O SEF (Serviço de Estrangeiros e Fronteiras), que controla a entrada em território português, afirmou que “está a trabalhar no sentido de poder alargar o sistema às chegadas, bem assim como a outros postos de fronteira portugueses”.


Batizado de Rapid4All, o sistema estende para esses países não europeus o mesmo mecanismo que antes já estava disponível para os cidadãos do bloco. Em vez de passarem por um agente, os viajantes colocam o passaporte em um leitor eletrônico que capta as informações e automatiza a saída.


COMO FUNCIONA


Por enquanto, só pode se beneficiar do sistema quem entrou na Europa (espaço Schengen) por Portugal e não tenha excedido o tempo legal de permanência. Além disso, é preciso que o viajante tenha mais de 18 anos e possua um passaporte eletrônico.


Ao colocar o documento de viagem no leitor, o sistema fará a validação do passaporte e o comparará com a base de dados. Há uma máquina fotográfica que registra imagens dos passageiros e compara sua aparência às informações biométricas armazenadas no chip. Se todos os elementos de segurança forem aprovados, a porta se abrirá.

Leitor eletrônico identifica informações do passaporte e máquina fotográfica compara informações biométricas (Foto: SEF/Divulgação)

Em seguida, um agente do serviço de imigração colocará o carimbo de saída no passaporte e o viajante poderá seguir para o embarque.


Segundo o SEF, as novas medidas trarão agilidade, mas sem prejudicar a segurança nos aeroportos do país.

Fonte: Folha de São Paulo
Postar um comentário

Recado